sexta-feira, dezembro 22, 2006

(127) A SUSPEITA

Maria José Morgado é suspeita. Leram bem: suspeita. De quê? De parcialidade. Porquê? Porque emitiu opiniões no passado sobre a corrupção no futebol, nas autarquias e na construção. Esta é a nova tese que, sem sucesso, os próceres de alguns arguidos do processo do Apito têm tentado pôr em circulação. Terão noção do ridículo? Julgar-nos-ão a todos parvos? Não têm e julgam. Pior para eles.

1 comentário:

Cecília do Porto disse...

"Maria José Morgado, a impoluta Magistrada reconhecida pela boca do povo (neste momento, por 6 milhões) como o exemplo de profissional do MP, quando não se lhe conhecem nenhuns méritos de investigação criminal ou de qualquer outra índole profissional (e desafio quem quer que seja esclarecer o contrário), a não ser o de perseguir (e digo mesmo perseguir e não investigar) certos políticos conotados com a direita portuguesa e porque a dita Magistrada esteve ligada ao MRPP quando jovem (e dar umas entrevistas tipo Octávio Machado em que lançava denúncias abstractas para o ar), foi colocada à frente da investigaçãp ao Apito Dourado e não tem qualquer ligação a nenhum clube, pelo menos que se saiba.
No entanto, como é de conhecimento público, Maria José Morgado é mulher de Saldanha Sanchez, Fiscalista conceituado.
Pois bem, o que se desconhece e que eu passo a dar conhecimento público, é que, de fonte segura, Saldanha Sanchez é Consultor Fiscal de Luis Filipe Vieira. Não dos lampiões, mas do próprio e das suas empresas. Não basta à mulher de César ser séria! Tem que parecer também."
É engraçado ver o Jorge a defender a Morgado! Só mesmo por ela ser vermelhusca, cegueira benfiquista, não sei se está a perceber!?