terça-feira, dezembro 19, 2006

(113) A CRISE DA REGULAÇÃO

Subitamente Portugal adicionou uma crise da regulação à crise do sistema político. Várias entidades reguladoras estão em crise. Umas porque demoram eternidades a decidir coisas essenciais para o funcionamento dos mercados. Outras porque nascem com o pecado capital de serem filhotas do bloco central. Outras ainda porque não resistem ao seguidismo e à subserviência perante o poder do Governo. De repente percebeu-se que não há regulação, mas apenas prolongamentos do Estado disfarçados de independencia de decisão, que estilhaçam à mínima turbulência. O que tende a dar razão aos que sustentam que a regulação é uma variante do inetrvencionismo estatal. Logo, de socialismo oculto.

1 comentário:

Golfinho disse...

Não será antes social-fascismo?
Abraço e Feliz Natal